Bala perdida na fronteira de cristal: legado, hesitações e contradições do inSITE / Bala perdida en la frontera de cristal: legado, vacilaciones y contradicciones de inSITE

Luiz Sérgio de Oliveira

Resumen


Este artigo investiga aspectos da mostra internacional inSITE, que entre 1992 e 2005 se dedicou ao espalhamento de projetos de arte nos espaços públicos da região de fronteira entre San Diego e Tijuana. Inicialmente formado por instituições de arte da região, o inSITE avançou paulatinamente na direção de sua emancipação institucional, consolidada com o inSITE97. Dez anos após a realização da última edição do inSITE (2005), o presente artigo analisa o processo de construção da mostra à luz das novas práticas de arte na esfera pública, evidenciando as contribuições, hesitações, ambiguidades e contradições diante do o contexto da fronteira. Articulado no campo da história da arte, com contribuições das ciências sociais e políticas, o artigo conclui pelo entendimento do inSITE como parte de um projeto de construção de identidade para San Diego, arquitetado por suas elites, que tenta manter a cidade descolada de uma percepção política da fronteira.

Palabras clave


arte; política; comunidade; identidade; fronteira

Texto completo:

PDF

Referencias


Bhabha, H. K. (1992). Double visions. Artforum International, 30(5), 88.

Carreño, V. (2011). Máscaras, borderlines y fronteras en Javier Téllez. Bordes. Revista de Estudios Culturales, 2, 22-32.

Davis, M. (2003). The next little dollar: the private governments of San Diego. In M. Davis, K. Mayhew e J. Miller, Under the perfect sun: the San Diego tourists never see (pp. 17-158). Nova York: The New Press.

Doherty, C. (Ed.). (2011). Situation. Londres e Cambridge, Massachusetts: Whitechapel Gallery/The MIT Press.

Firstenberg, L. (2005). San Diego-Tijuana. Art Papers Magazine, 29(6), 60.

Foucault, M. (1986). Of other spaces. Diacritics, 16, 22-27.

Fuentes, C. (1999). A fronteira de cristal. Rio de Janeiro: Rocco.

Hennessy, A. (1978). The frontier in Latin American history. Londres: Edward Arnold.

Hertz, R. (1985). Theories of contemporary art. Englewood Cliffs, Nova Jersey: Prentice Hall.

Helguera, P. (2011). Education for socially engaged art: A material and techniques handbook. Nova York: Jorge Pinto Books.

Hollander, K. (1998). Crossover dreams. Art in America, 86(5), 46-51.

Huntington, S. P. (1996). O choque de civilizações e a recomposição da ordem mundial. Rio de Janeiro: Objetiva.

Huntington, S. P. (2004). Who are we? Nova York: Simon & Schuster.

inSITE (2005). inSITE_05 - Art practices in the public domain: San Diego-Tijuana. San Diego: inSITE. (22 brochuras dos projetos de arte da mostra).

Kester, G. H. (2011). The one and the many: Contemporary collaborative art in a global context. Durham e Londres: Duke University Press.

Kennedy, R. (2010, 23 de junho). Unlocking New York, one date at a time. New York Times, Art & Design, p. C1. Disponível em http://www.nytimes.com/2010/06/24/arts/design/24keys.html

Knauss, P. (2004). Oeste americano: quatro ensaios da história dos Estados Unidos da América. Niterói, Brasil: Eduff.

Knight, C. (1994, 1 de outubro). New borders costumes. The Los Angeles Times, p. F1.

Krichman, M. e Cuenca, C. (2002). Director’s statement. In inSITE. inSITE2000-2001: Parajes fugitivos / Fugitives Sites (editado por Osvaldo Sánchez e Cecília Garza). San Diego, California: Installation Gallery.

Kravagna, C. (2005). Working on the community: models of participatory practice. Disponível em http://www.republicart.net

Kwon, M. (2002). One place after another: site-specific art and locational identity. Cambridge, Massachusetts.: The MIT Press.

Lefebvre, H. (1991). The production of space. Oxford: Blackwell Publishers.

McEvilley, T. (1995). inSITE94. Artforum International, 33(10), 112.

Oliveira, L. S. (2015). O lugar da arte e o desprestígio do objeto artístico. In J. Cirillo e A. Grando (Orgs.). Poéticas da criação: mediações e enfrentamentos da arte (pp. 105-116). São Paulo: Intermeios.

Pincus, R. L. (1995). The invisible town square: Artists’ collaborations and media dramas in America’s biggest border town. In N. Felshin (Ed.), But is it art? The spirit of art as activism (pp. 31-49). Seattle, Washington: Bay Press.

Salas Quintanal, H. J. (2006). La “gente del desierto” en el norte de Sonora. Culturales, 2(3), 9-31.

Vergara-Vargas, E. (2008). inSITE-Specific: Three art projects on the Tijuana-San Diego border zone (Dissertação de Mestrado, Department of Art History, Concordia University, Montreal, Quebec, Canadá). Disponível em http://spectrum.library.concordia.ca/976102/1/MR45507.pdf


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2017 Luiz Sérgio de Oliveira

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.